MM Editorial | MA8 Consulting faz projeções otimistas para o setor de caminhões, máquinas agrícolas e linha amarela
11556
single,single-post,postid-11556,single-format-standard,mkd-core-1.0.3,ajax_fade,page_not_loaded,,mkd-theme-ver-1.4.1,smooth_scroll,wpb-js-composer js-comp-ver-4.7.4,vc_responsive
 
ma8 consulting

26 nov MA8 Consulting faz projeções otimistas para o setor de caminhões, máquinas agrícolas e linha amarela

MA8 Consulting faz projeções otimistas para o setor de caminhões, máquinas agrícolas e linha amarela

26.11.2015

  • MA8 Consulting divulga projeções de mercado e elementos da economia e gestão que definirão os rumos dos setores de caminhões, máquinas e equipamentos no Brasil.
  • Haverá recuperação no setor, apesar das incertezas econômicas e políticas no País.
  • Estudo alerta para a necessidade do setor de caminhões desenvolver um novo modelo de negócios, que não seja dependente do FINAME.

 

A MA8 Consulting, grupo de conselheiros e consultores especializados na indústria automotiva leve e pesada, divulgou estudo de mercado com as projeções para os setores de caminhões, máquinas agrícolas e equipamentos de construção para os próximos anos. A consultoria identificou os principais elementos da economia e gestão de negócios que devem ser monitorados e impactarão diretamente na recuperação das vendas de veículos comerciais on-road e off-road.

O novo estudo combinou os elementos de mercado que afetam o setor, com a capacidade de reação da indústria e suas redes de distribuidores. A consultoria projeta retomada de vendas a partir de 2017, mas conclui que algumas empresas terão dificuldades para reagir devido ao enfraquecimento de suas redes de distribuidores e concessionários durante o período de retração.

A importância do agronegócio e o papel do BNDES

O estudo classifica as linhas de crédito e financiamento como um entre os mais importantes elementos de incentivo às vendas no setor. A MA8 afirma que o governo tem um papel fundamental no fomento aos investimentos em máquinas e equipamentos, por meio do BNDES, mas alerta para a necessidade do setor de caminhões desenvolver urgentemente um novo modelo de negócios que não seja dependente do FINAME. “A tendência para os próximos anos é que o BNDES deixe de ser um banco subsidiado para este setor e passe a se dedicar ainda mais ao desenvolvimento da agroindústria e equipamentos de construção e mineração”, diz Orlando Merluzzi, presidente da MA8 Consulting.

Para o executivo, qualquer governo no País, independente de posições ideológicas, sabe que a agroindústria e a produção de commodities são o porto seguro da economia e continuarão respondendo por mais de 50% das exportações por um longo tempo. “A safra anual brasileira continuará quebrando recordes e deve atingir 250 milhões de toneladas nos próximos dez anos, sem a mesma expansão em área cultivada, o que significa que o agronegócio demandará mais tecnologia, máquinas e implementos agrícolas e necessitará de uma política exclusiva de financiamento e fomento”, analisa Merluzzi.

ParaOrlando, este segmento comandará a retomada do setor automotivo e será o principal responsável pela retomada de vendas de caminhões pesados para a safra 2016/2017. Porém, a questão do financiamento local continuará sendo um enorme entrave para atender a demanda e as entidades do setor deveriam começar imediatamente a procurar financiamentos externos. “Bancos chineses são uma ótima opção, uma vez que a agroindústria brasileira interessa muito à China, que já começou a investir no agronegócio brasileiro”.

Nova onda de crescimento global

A consultoria aponta fatores econômicos internos e externos que impactarão nas vendas no mercado de máquinas, equipamentos e caminhões para os próximos cinco anos. Segundo o consultor Leonilson Rossi, profissional com 40 anos de experiência e diretor responsável pela área de máquinas e equipamentos de construção na MA8 Consulting, o setor crescerá independente da combinação dos fatores políticos e econômicos e o que mudará será o ritmo deste crescimento.

“Somos otimistas, mas mantemos os pés no chão. A China e os Estados Unidos impulsionarão nova onda de crescimento global a partir de 2017 e o Brasil se beneficiará das exportações de commodities agrícolas e minerais, com uma taxa cambial favorável ao exportador. As reservas devem permanecer fortes e a tendência é que as contas públicas se estabilizem. Com isso, haverá um cenário favorável às concessões de crédito e principalmente aos investimentos da iniciativa privada em obras de infraestrutura e logística no Brasil. A primeira favorecerá diretamente o setor de linhas amarelas e a segunda beneficiará o agronegócio, uma vez que os gargalos ao escoamento logístico da produção agrícola precisam ser eliminados”, comenta Rossi.

Segundo a consultoria, os ciclos da economia e das variações do setor automotivo são históricos e podem ser previstos, desde que as projeções e análises considerem os efeitos sazonais e as experiências anteriores.

As projeções para o setor

Para Orlando Merluzzi, o setor de máquinas e implementos agrícolas será o primeiro a se recuperar a partir do próximo ano e poderá repetir os bons volumes de anos recentes até o final desta década. Porém, os mercados de caminhões e máquinas de construção demandarão um pouco mais de tempo para se recuperar, sendo que a tendência para os próximos anos é de crescimento contínuo e moderado. “Nossa projeção mais otimista para máquinas e equipamentos de construção indica que o volume anual de vendas, ao final desta década, deve representar 50% de crescimento em relação ao ano de 2015. Isso resultaria em volumes ainda bem abaixo do mercado que vivemos entre 2011 e 2013. Mesmo assim, projetamos um cenário positivo para todos esses setores”, complementa.

Gestão ativa e eficiente do Pós-Venda

A consultoria, que também tem atuado em projetos de reestruturação de concessionárias de veículos e máquinas, apontou recentemente que deve haver um processo de consolidação, fusão e aquisições no setor de distribuição de veículos no País. Até o final da década, 40% das redes de concessionárias no Brasil terão participado de algum tipo de reestruturação e redefinição em seus modelos de negócio e governança corporativa.

Contudo, Orlando Merluzzi alerta para que as concessionárias e distribuidores concentrem recursos nas atividades de pós-venda. “As redes de distribuição terão que sobreviver com a venda de peças e serviços, uma vez que as vendas de veículos e máquinas estão retraídas. As estratégias de atendimento ao parque circulante existente precisam ser muito bem planejadas. É no pós-venda que residirá a sobrevivência das redes de concessionárias e distribuição, nos próximos anos e nós da MA8 temos desenvolvido programas inovadores de gestão e eficiência nessa área”, finaliza o presidente do grupo de consultores da MA8.

São Paulo, 26 de novembro de 2015.
Sobre a MA8 Management Consulting

A MA8 é uma consultoria de gestão e reestruturação empresarial, planejamento estratégico, inteligência de mercado e estratégia de operações comerciais no Brasil e América Latina, composta por experientes consultores e conselheiros no setor automotivo para carros, caminhões, máquinas e equipamentos.

Para mais informações visite o endereço:  www.ma8consulting.com